Falam-se línguas (translate)

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Fale agora ou cale-se para sempre

A primeira reunião de pais da escola da Mironinho está marcada para a próxima quarta-feira à noite. Será igual à do ano passado, que foi igual à do ano anterior, uma réplica perfeita da reunião do outro ano. São sempre iguais, as primeiras reuniões de pais. Um ginásio cheio, leques improvisados, a directora fala, expõe as regras de funcionamento, apresenta o calendário de actividades, o projecto educativo para o ano que se inicia, o corpo docente e não docente é apresentado, os pais sorriem, anuem com a cabeça, sorriem, está tudo muito bem, sim senhora.
Passando o dedinho do pé para o lado de fora do portão chovem as críticas, ai que exagero, onde é que já se viu, parece a tropa, não me parece nada bem, acham mole e carregam, a minha cunhada disse-me que na escola dos dela não é nada assim.
Porquê?

13 comentários:

  1. Já assisti a reuniões do género: ginásio cheio (tudo igual a ti) mas onde um grupinho de mães se entretinha a falar entre si, impedindo outros de ouvir o que a directora dizia. Entretanto levam as criancinhas e deixam-nas correr de um lado para o outro lá atrás. às vezes penso que os pais que não crescem deviam ser multados por procriarem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estas reuniões são marcadas para a noite, em princípio as crianças não vão. O que me causa urticária é mesmo esta característica de não se falar quando é dada a oportunidade. Entre pais, cá fora, diz-se tudo e mais um par de botas, mas na reunião ninguém tem coragem de dizer que a lista de material é exagerada, que os uniformes são caros, que as multas são pesadas...
      Este ano corre o boato (os boatos, a capacidade de "emprenhar" pelos ouvidos, como se diz aqui, também dá pano para mangas) de que um dos professores de educação física vai sair. Já estão as mães a ligar umas às outras, ai que não pode ser, ai que os meninos gostam tanto dele. Quase aposto que na reunião ninguém vai abrir o bico... (por acaso disse-me um passarinho que o professor vai sair porque foi colocado longe e o horário da pública não dá para conciliar com esta escola).

      Eliminar
    2. Vá lá, marcaram para a noite. Aqui é às 9h30, ou seja, com dois filhos foi DUAS manhãs para o tecto. Não consigo entender estes horários. Tive de tirar férias para ir a reuniões em que não ouvi nada de novo.É para me pôr doente.

      Eliminar
  2. Uma vez quase me lincharam porque ousei não cocnordar com um dos pontos (esses pais) e depois cá fora e nas costas do corpo docente estava tudo a falar mal... muito bom..muito bom mesmo.

    ResponderEliminar
  3. Porque as pessoas não gostam de colocar em cuasa, de se expor e é sempre muito mais fácil ir fazer queixinhas no facebook ou expelir a raiva nos comentários do blogs.
    E é isto.
    Porquê? Porque as pessoas perderam a coragem, porque tudo o que fazem cai no ridículo e é imediatamente exposto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ninguém quer que achem que são pelintras por dizerem que 5 euros de multa por irem buscar os meninos fora de hora é muito. É muito, pois é, se se atrasar 5 vezes por mês são 25 euros. Mas se as multas não forem pesadas a verdade é que os pais abusam (e esquecem-se que os funcionários também têm de ser pagos e, pasme-se, também precisam de ir para casa).
      Os pais gostam de exigir da escola, esperam um comportamento irrepreensível, mas sentem-se melindrados quando a escola exige na mesma medida deles.

      Eliminar
    2. Mirone, conheci esta situação não só como mãe, mas também "do lado de lá" e há coisas que não passam pela cabeça de muita gente. Os atrasos não se ficam só a dever às saídas tardias do trabalho, acontecem também (e de que maneira) em dias de folga ou férias dos pais. Para as instituições se precaverem ao ponto de instituir uma multa, imagina,..
      Quanto ao falar pelas costas, é o prato do dia. Porquê, não sei, enquanto mãe nunca tive nem tenho problema em fazer perguntas ou manifestar desagrado, se for o caso.

      Eliminar
    3. Basta ver que muitas das crianças que chegam atrasadas de manhã ou que ficam lá até às tantas, os pais estão desempregados.

      Eliminar
    4. Eu achei a lista de material exagerada e despropositada, tendo em conta que a Mironinho ainda está no infantário e disse-o à professora, sem problemas. A professora explicou-me que este ano o trabalho é diferente, que vão ter mais fichas de trabalho e que por isso vão gastar muito papel. De resto, e pelo que vejo, acho que os 4 lápis de carvão não vão chegar ao Natal, tendo em conta o entusiasmo com que a minha filha fala do potencila da afia com depósito que lhe comprei. A educadora diz que se deixasse os miúdos não faziam outra coisa senão afiar os lápis ;)

      Eliminar
    5. As multas por atraso são aplicadas na hora de ir buscar os meninos (se chegam atrasados não têm multa, têm falta). A escola acaba às 17.00. Os pais podem ir buscar os meninos até às 19, mediante o pagamento de uma taxa suplementar. Depois das 19 acho muito bem que se pague multa. Nenhum menino deve ser obrigado a ficar na escola tantas horas (os pais vão deixá-los às 8 da manhã, não me parecem bem que os recolham quase 12 horas depois).

      Eliminar
    6. A minha sogra trabalhou num infantário (uma ipss). Com miúdos que moravam no bairro social mesmo em frente. Não foi uma nem duas vezes que tiveram que ir avisar os pais que estavam em casa, que estava na hora de ir buscar os miúdos porque as funcionárias queriam ir embora. Um desrespeito total. Por vezes quem mais prevarica é quem tem menos motivos para o fazer. Como os que vão buscar os miúdos às tantas porque a praia estava tão boa que é de aproveitar. Acho muitissimo bem que existam multas.

      Eliminar
    7. Mirone, era aos casos de crianças que ficam frequentemente das 7.30 ou 8 da manhã até depois das 19 que me referia, pq conheci demasiadas situações semelhantes e não estava relacionado com o horário de trabalho dos pais, de todo.
      Quanto aos materiais e equipamentos, é um abuso!! Os meus filhos já passaram a idade do infantário há muitos anos, mas já na altura era a mesma coisa...

      Eliminar