Falam-se línguas (translate)

terça-feira, 2 de junho de 2015

Ando a remoer isto há semanas

E, nem de propósito, acabaram de me convidar para comer caracóis no próximo fim de semana. Acho que vou aceitar o convite.



"Esta é a primeira parte de uma específica acção de sensibilização contra o uso e exploração de caracóis, esses mesmos seres sencientes que são cozidos vivos e tão frequentemente consumidos nas épocas mais quentes do ano. Pretendemos alertar para o facto de que, assim como nós, estes animais sentem e por tal sofrem nas circunstâncias em que são instrumentalizados apenas para satisfazer o palato de quem os procura como petisco."

As convicções de cada um são uma coisa muito bonita, não haja dúvida.
 




18 comentários:

  1. Hahahahahahahahahahahahahahaqhahahahahahahahaha!
    Aquele ali da fotografia marchava já, assado!

    ResponderEliminar
  2. Comi no fds, bem bons! picantes como se gosta ;)

    ResponderEliminar
  3. Não é o meu petisco favorito, nem pouco mais ou menos, mas desde que conheci este "movimento" ando com uma vontade louca de os comer.

    É como digo, as convicções de cada um são uma coisa muito linda, oh se são (mas tenho para mim que certos movimentos, ainda que bem intencionados, descredibilizam um bocado os congéneres)

    ResponderEliminar
  4. Vou criar uma acção de sensibilização tendo em vista os pobres bróculos.
    Chega de os mandar para a panela vivos. Chega de os comerem crus.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas tu mandas os brócolos vivos para o tacho? vão ainda agarrados à terra? isso não te dá cabo dos dentes? Eu detesto sentir a areia quando as ameijoas (outras que também vão vivas para a panela, como as lagostas) não são bem lavadas, acho que vou detestar a terra.

      Eliminar
  5. Confesso, se tivesse que ser eu a fazê-los, não fazia. Uma vez fiz sapateira e fui incapaz de comer...o que a "bicha" arranhava na panela com a água a ferver, passou-me logo a vontade.
    Mas mato melgas!!! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não como caracóis por causa da ranhoca, lembro-me do bicho ranhoso e agonio-me. Sapateira, lagosta, e marisco em geral, venha ele, que sou uma insensível do pior.

      Eliminar
  6. Querida Mirone,
    Essa é a razão de eu não comer caracóis. Essa e o meu bom coração. Isso e a nhanha deles.
    (As lagostas não contam porque não têm nhanha.)
    Querida Té,
    Ate-as antes de as meter na panela e vá compor as flores da sala durante 5 minutinhos.
    Boa tarde,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Atar uma sapateira?! Que horror! Isso não será torturá-la ainda mais? A coitadinha ali a ferver e sem se poder mexer...

      Eliminar
  7. Caracóis, 'ca nojo... Nem que me pagassem.

    ResponderEliminar
  8. Aquele/a que vai apanhar os bichos para o jardim dele/a para que não os matem, que tal começar também a ir buscar os piolhos e as lêndeas ao cabelo dos outros antes que estes os matem por asfixia ou envenenamento?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que nem os defensores da causa animal levam este movimento muito a sério.

      Eliminar
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  11. Nos EUA há uma campanha muito estupida (juro que começo a colocar as capacidades mentais deles em causa), é que estão placards enormes afixados a dizer coisas como "esta ovelha morreu para que tu ficasses com o seu pelo". E juro que está num poster hiper alterado com photoshop e a dita ovelha aparece mesmo cheia de sangue.

    Ora, eu cá, burra da serra, já vi muitas ovelhas a ir à tosquia e não me lembro de ver uma única a sangrar. Eu cá até vou ao cabeleireiro e também não me sai o escalpe por isso.

    [O problema nem é eles serem palermas a fazer isso, é haver gente muito burra, estupida, inculta, whatever a acreditar naquilo]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa das ovelhas é de uma inteligência que dói.

      Eliminar