Falam-se línguas (translate)

sábado, 28 de março de 2015

Contem-me tudo

sobre o livro do Sócrates, que eu já só apanhei a parte em que ele garante que foi ele que o escreveu.
Agradecida.

4 comentários:

  1. Ora, Mirone, então...

    Com estes casos da vida real passa-se exactamente o mesmo que nos blogues, pois não é? Alguém transpira e outro alguém colhe os louros. Foi mais ou menos o que se passou. Alegadamente. Convém não esquecer o "alegadamente".

    O Sr. Eng. foi merecedor da presença de altas individualidades no dia do lançamento do livro que levava o seu nome na capa, fez lindos discursos e recebeu vastas palminhas. Mas, alegadamente, foi um professor universitário que trabalhou no teclado do computador e produziu o best seller, campeão de vendas alegadamente fraudulentas.

    É mais ou menos como aqui nos blogues. Há umas meninas que escrevem lindos posts com vasta prosa muito elogiada entre os seus pares e não só. São citadas e as suas crónicas reproduzidas noutros blogues. Mas depois, vai-se a ver e aquilo que escrevem em caixas de comentários por aí fora, onde são visita muuuuito frequente, não condiz lá muito bem com tanta erudição. Além de que alguns dos seus próprios posts são só... sofriveis, vá. E a gente fica a pensar que, se calhar, alegadamente lá está, são só as rainhas do copy paste, ou, quando muito, são só boas tradutoras de artigos alheios. Pois se nem o nome dos poetas que querem homenagear sabem escrever...
    (mas não se preocupe que são muito boas a ir num instantinho corrigir quando vai lá alguém chamar a atenção. Não publicam, claro. Mas googlam e corrigem à pressa...)

    ResponderEliminar
  2. Querida Mirone,
    É a tal contrapartida pelo despojamento intelectual.
    Beijos,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Despojamento intelectual, nem mais nem menos.
      BFS.

      Eliminar