Falam-se línguas (translate)

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Mariah Carey, volta que estás perdoada!

Mentira, não voltes, que o All I want for Christmas is you continua a ser o meu ódio de estimação no que toca a músicas de Natal (Wham, não fiquem tristes que o Last Christmas vem logo a seguir).

Mas não vos vim falar da Mariah nem dos Wham. Vim falar-vos de  Jose Feliciano. Quem?! Ó Mirone, tem lá paciência, que estamos na semana antes do Natal, estamos cheios de trabalho, não temos tempo para essas coisas! Calma, eu explico, Jose Feliciano, esse grande artista de renome internacional.
Para aqueles de vós que possuis uma cultura musical como a minha e achais que pelo nome Jose Feliciano deve ser primo do Graciano Saga que tem uma loja de roupa no Fundão, chibatai-vos 30 vezes e correi ao youtube a procurar "Feliz Navidad". Eu facilito-vos a vida, aqui está:


Sabem quantas vezes ouvi esta canção ontem, sabem? Não sabem, pois não. Mas eu digo-vos quantas. Muitas! Muiiiiitas! Demasiadas! Tantas que à sétima vez lhe perdi a conta. 
Era daquelas músicas que não me incomodavam nada, aliás, era uma daquelas músicas que me deixavam a bater o pé e de sorriso nos lábios a trautear baixinho "feliz Navidad, feliz Navidad"o resto do dia. Mas depois de praticamente duas horas no cabeleireiro com os vapores da tinta - diz que é natural e não faz mal e tudo e tudo, mas tem cheiro na mesma - a ouvir o Jose Feliciano em loop, que o raça do cd de música ambiente deve ter 5 músicas, no máximo! (sim, tem Wham e Mariah Carey), uma pessoa descompensa, pois descompensa. Fica o resto do dia assim para o modo alerta no que diz respeito a músicas de Natal. E se depois, ao fim do dia, na festa da escola da Mironinho entre a actuação de cada grupo puserem um separador com a Feliciano a cantar, a coisa fica pior. E são sete actuações, com cerca de 50 miúdos em palco de cada vez (duas turmas por cada ano, desde o infantário ao 4.º ano), e tirar aquela tropa fandanga do palco e mudar os cenários e fazer entrar os próximos ainda é coisa para demorar um pedaço, e o homem não se cala, feliz Navidad, feliz Navidad, e as pessoas marcam o ritmo com palmas e no início alinhamos, que o espírito é de festa. Mas lá para a actuação do primeiro ano - a Mironinho actuou no segundo grupo - começamos a pensar que quanto mais velhinhos os meninos são mais complexa é a actuação, mais demorada é a troca de cenários, deixamos de bater palmas. No fim da actuação do grupo da terceira classe já só queremos que o senhor acorde a meio da noite aflito para ir à casa de banho e bata com o dedinho pequeno no pé da cama e grite tanto que dê cabo das cordas vocais que nunca mais possa cantar. E quando sai o grupo do quarto ano pensamos que sim, que acabou tudo, podemos ir para casa, a directora ainda vem dizer umas palavrinhas e há o sorteio dos cabazes e nós nem sequer comprámos uma rifa (uma pena, que os cabazes eram bem bons) e já não ouvimos nada senão "feliz Navidad, feliz, navidad..."

Feliz Navidad, Feliz Navidad!

6 comentários:

  1. Opá, quem não gosta da música da Mariah, quem ? Tão fofinha. Não vou ouvir esta que aqui publicaste, temo por mim.

    ResponderEliminar
  2. Juro, prometo não voltar a queixar-me por ouvir pela 87381659849897 vez o Last Christmas desde há um mês e desde há vinte anos, todos os Santos Natais da minha vida, em alturas em que também não posso fugir. Pensei que na Alemanha fosse diferente ( foi só para não ouvir o Jorge Miguel que emigrei) mas enganei-me. aqui é a mesma coisa. Até no supermercado e nos correios, uma pessoa sai de lá atordoada.
    Sinto que a minha vida ficou mais rica com esta partilha. Feliz Navidad - tanana nana - Feliz Navidad!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A enriquecer pessoas desde Dezembro de 2013!

      Eliminar
  3. Agora que recuperei do dente vou ter de tratar dos ouvidos.
    Obrigadinha!
    :DD

    ResponderEliminar