Falam-se línguas (translate)

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Quando ela é ele

Quem nunca se enganou no sexo/género do seu cliente atire a primeira pedra.
Escusam de rir. Sejam sinceros. Eu sei que está sempre a acontecer.
Quem nunca trocou e-mails profissionais com um cliente, convencido de que era uma mulher? Ora, ora, toda a gente!
Quem insiste em iniciar toda a correspondência trocada com "Exm.a Senhora", "Cara" A... (um nome estrangeiro)? Toda a gente também, é uma questão de cortesia.
Quem é que, não conhecendo a pessoa em causa, aborta a ideia de ir procurar essa pessoa nas redes sociais só para saber mais qualquer coisa sobre a cliente com quem agendou uma reunião? Todos nós, certo? Olha cá agora control-freaks, era o que faltava. Que mania! Às tantas nem é utilizadora.
Quem é que recebendo um telefonema a pedir para alterar a hora da reunião, fica a pensar que a senhora anda a dar forte e feio no bagaço ou a fumar uma caixa de charutos todos os dias? É normal, há mulheres com voz grossa, ou talvez a senhora tivesse acordado há pouco tempo.
Quem é que responde com toda simpatia "Com certeza, posso mudar a hora. E a que horas é que a senhorA prefere? Fique descansadA, mudamos então para quarta-feira às 14h. Até lá, muito gosto em ouvi-lA". É perfeitamente normal, quando uma cliente estrangeira e que não nos conhece se desfaz em salamaleques do outro lado da linha, o mínimo que devemos fazer é sermos igualmente educados, não vá dar-se o caso de criarmos uma barreira cultural intransponível. 
Quem é que fica sem palavras quando, à hora marcada, se depara com um homem de barba rija? Eu!


Já agora, confirmem-me só uma coisa, por favor. Ashley é nome de senhora, não é?

10 comentários:

  1. Então, então... é só recordar "E Tudo o Vento Levou"... Oh Ashley, Ashley, I love you so...

    ResponderEliminar
  2. Com certeza, Ashley. Mas achava que era um nome maioritariamente feminino, que às vezes era usado no masculino. Afinal, depois de uma breve investigação, percebi que originalmente era um nome masculino mas que se popularizou como nome feminino na década de 50. Vivendo e aprendendo. Este foi mais um post com a bonita hancela "Mirone, a passar vergonhas desde il y a trop longetemps.

    ResponderEliminar
  3. Ihihihih. Aconteceu-me com um contacto que assinava Alex "qualquer coisa". Ora eu também achava que Alex era o diminutivo de Alexandre/ Alexander. Olha que não, olha que não. Depois de muitos e-mails para o Exmo. Senhor, o senhor isto, o senhor aquilo, eis que me aparece ao telefone uma Alexandra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao telefone também me apareceu um Ashley, mas eu estava tão convencida que era uma senhora que pensei que fosse só uma voz extraordináriamente grossa para senhora.

      Eliminar
  4. Tanto pode ser de senhora como de homem. Atenção também a Lesley, Evelyn... a língua inglesa é muito traiçoeira.

    ResponderEliminar
  5. Evelyn?! Esse eu ia jurar que é só de senhora... Oh meu Deus!

    ResponderEliminar
  6. Há pelo menos um escritor com esse nome, Evelyn Waugh, que Escreveu o Brideshead Revisited. E há um livro da Agatha Christie em que o mistério também gira à roda de um/a Evelyn ;)

    ResponderEliminar
  7. Eu uma vez tive mais de um quarto de hora a falar com uma operadora da PT e no final quando pedi para ela repetir o nome para registo, diz que se chama Fábio!!! Fiquei para morrer...

    ResponderEliminar