Falam-se línguas (translate)

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

E de que outra fruta gostas, Mirone?

De maçãs, gosto de maçãs e nunca faltam em minha casa.
Não me lembro quando ou como comecei a gostar delas, mas tinha pouco mais de três anos quando o mundo, o meu mundo, leia-se a minha família, ficou a conhecer a minha paixão pelo fruto do pecado original.
Estávamos nos primeiros dias de Junho. Nesse dia mudámo-nos para a casa que os meus pais mandaram construir. A minha mãe preparou um jantar especial e convidou os avós e tios. Éramos nove à mesa, pareciam-me tantos. Hoje somos, só "os de casa", catorze. O dia era "de festa" e havia várias sobremesas doces. Mas eu, que tinha feito fita para comer a sopa e os legumes, fui sentenciada logo que pedi pudim: "quem não tem fome para a sopa e os legumes, também não tem fome para sobremesa. Podes comer uma peça de fruta". Pedi uma maçã. O meu pai descascascou-ma, fatiou-ma e eu comi-a com prazer. "Quero outra", disse. "Não, a maçã era grande, não comes outra, que ficas mal disposta". "Mas eu quero maçã!". Abri a goela e ali encetei um tremendo braço de ferro. Queria maçã e tudo faria para a ter. O jantar acabou, os tios e avós sairam, a mãe tratou da louça e o pai deitou-nos. "Quero maçaaaaaaaaaã!", dizia com boca de sapo. Lembro-me de estar cansada na cama, de lutar contra o sono, mas insistir, haveria de comer mais uma maçã. "Quero maçã!". Em casa ninguém dormia, nem os pais, nem eu, nem a minha irmã. Falaram comigo, mostraram-me porque não devia comer mais maçã, mas eu permanecia irredutível, queria maçã. Às duas da manhã, a minha mãe atingiu o seu limite, cansada que estava, foi à cozinha, encheu um saco de plástico com maçãs e pendurou-o na cabeceira da minha cama. "Tens aqui as tuas maçãs, faz o que quiseres, mas não quero ouvir mais um pio!". Diz a minha mãe que olhei para o saco, suspirei, sorri e caí num sono profundo, sem comer a maçã. 
Ainda hoje preciso de ter maçãs em casa, até posso passar semanas inteiras sem as comer, mas em minha casa tem de haver sempre maçãs e a estória do inidente das maçãs é um clássico nas reuniões de família. "Então, Mirone, vai uma maçã?".

6 comentários:

  1. O meu filho também é um apaixonado por maças. Desde dos dois anos que me pede já deitado na cama uma maçã antes de dormir. Em vez do leitinho é sempre uma maça.

    http://thepirateandi.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Uma maçã por dia dá saúde e alegria. :D

      Eliminar
  3. Eheheheh conheço uma história parecida mas com melão e não acabou tão bem como essa, o melão foi comido inteirinho e quede lhe deu um fanico no dia seguinte... :))

    ResponderEliminar