Falam-se línguas (translate)

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Ah, a emoção das pequenas grandes descobertas

Hoje descobri, já na porta de embarque, que deixei  telemóvel no hotel.

41 comentários:

  1. As artimanhas a que esta senhora recorre para nos contar que é muito viajada.
    A menina devia considerar a hipótese de escrever textos publicitários para as dos blogues. Olhe que é muito mais convincente do que elas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou viajada, sim senhor, com muito gosto (e algum sacrifício, que sou eu quem paga as viagens).
      Tenho noção de que viajo mais num ano do que muitas pessoas viajarão em dez,vinte anos ou mesmo na vida toda. Por isso mesmo me abstenho de falar sobre essas viagens neste blog. De maneira que quanto a viagens ficamos por aqui, eu feliz e contente com a viagem que fiz e a pensar na viagem que farei já daqui a quinze dias, e o anónimo a ver navios... que também é uma forma de viajar.

      Namasté, shalom, muita luz, tudo de bom, anónimo. Vou regressar o trabalho que as viagens não se pagam sozinhas.

      Eliminar
    2. Daqui a 15 dias não se esqueça de vir cá contar uma historietazita disfarçada, para sabermos que lá foi em mais uma passeata. Vou estar aqui no meu bote à espera, enquanto vejo os navios.

      Eliminar
    3. "Jasus"! Como se viajar hoje em dia fosse qualquer coisa do outro mundo. Esta gente é louca.
      Viajo muito e este ano já estive no Butão (3ª vez em 3 anos), Vietname, Cambodja, Islândia, Japão e mais. Mas eu não preciso de trabalhar para viver. E não, não vivo à custa do marido.
      Boa digestão, barqueira.

      Eliminar
    4. É um pouco por aí, anónimo das 18.15. Felizmente hoje é relativamente fácil viajar, não é nenhuma proeza por aí além, mas haverá sempre quem se "preocupe".

      Anónimo a ver navios, aqui a quinze dias assim vai continuar. Se não contei onde fui em janeiro, em março, em maio e agora, também não lhe vou dizer onde irei em dezembro.

      Eliminar
    5. Mirone do meu coração a dar 20-0 as anônimas que navegam na banheira e tu tens culpa de viajar. Sim porque aconteça o que acontecer nos temos sempre a culpa de qualquer coisa. No meu caso e de ser feia, gorda e com um rabo enorme, tu tens culpa de viajar! Tudo normal! Já agora ainda bem que tudo se resolveu!

      Eliminar
    6. Acho maravilhoso Mirone... Nunca falas das viagens que fazes ou deixas de fazer. Nem uma foto para amostra. Uma vez que o referes, tau!! Já foste! Lá estás tu a armar-te!! Ahahahahahahahahahah acho amoroso...

      Eliminar
    7. Repara que nem disse onde fui, pode muito bem ter sido uma viagem entre o Porto e Lisboa, mas houve logo quem notasse a minha gabarolice, lá está ela a mostrar que passeia.
      É encolher os ombros e sorrir...

      Eliminar
    8. A NM também só fala assim porque ainda à dias andou a gabar-se que tinha um carro... (já se sabe que a história que inventou foi mesmo muito credível) por isso é que veio para aqui defender a amiga.
      Na volta até "sóis" só uma.

      Eliminar
    9. Sim, anónimo, é muito engraçado, cheio de bom humor, que brincalhão, ahahahah.
      (agora é tarde)

      Eliminar
    10. É extraordinário. 70 anos de blogues e não aprenderam que nunca, nunca se pode dar resposta a anónimos como eu, que vêm aqui só para desestabilizar. Até a NM caiu na esparrela. Caramba, tão espertas, tão espertas e não aprendem nem por mais aquela.
      (vale para todas, hã?, também para a Bailarina e outras anónimas armadas em boazinhas e defensoras da pobre Mirone indefesa, coitada, vítima de Anónimas Mázonas)
      (NM, não é verdade. A Mirone não dá detalhes, não publica destinos nem fotos, mas não perde uma oportunidade para dizer que é uma viajante frequente e gabar-se pelas mais indirectas formas. Não o faz abertamente porque é das tais que joga no toca e foge, faz tudo e não assume nada. Tenho o maior desprezo por gente desta.)
      Anónimo das 00:28, a NM gabou-se que tem um carro? Conte-me, que não vi. Foi aquela cena de ter tido um acidente? Não acho que tenha sido gabarolice, não me pareceu.
      Se frequento blogues de gente por quem tenho desprezo? Sim, e depois? Não posso? Vocês também não vão lá às It Bloggers só para terem do que dizer mal? Ou para terem tema de conversa com a Picante, vá.

      Eliminar
    11. Sim, anónimo, era só para desestabilizar (tivemos esta conversa no início) e o anónimo, além de bem humorado, e mais inteligente que todos os outros comentadores (e consegue assumir diferentes personalidade, ora é bajulador, ora é irónico, ora é acintoso e crítico, também sabemos).
      Não tenho setenta anos de blogs (nem de idade), mas desde cedo sei que os trolls, anónimos mauzões, ou outro nome que lhe queiram dar, têm toda a legitimidade para desestabilizar blogs, sejam eles de bloggers por quem nutrem carinho, que lhes sejam indiferentes ou que desprezem (nota-se que o desprezo é tanto que lhe chega a toldar a vista, ora diga lá, onde - com excepção dos comentários supra - onde me gabo das viagens que faço ou deixo de fazer, por favor), e é legitimo que desestabilizem por mera diversão, por maldade, por catarse, seja lá por que motivo for, faz parte das regras do jogo e quem tem um blog deve sabê-lo. Por ser legitimo que o façam e por saber que assim é optei, desde o primeiro dia, por ter os comentários abertos a anónimos e sem moderação (mas tenho todo o direito de um dia, se e quando quiser, vedar os comentários de anónimos ou optar pela moderação de comentários sem que tenha de o justificar). Em quase quatro anos de blog aberto só tive de apagar três comentários que se dirigiam a bloggers alheios a este blog de forma que considerei inaceitável e é assim que tenciono manter-me. Mas também faz parte das regras do jogo que os trolls tenham noção de que haverá sempre alguém que não se intimide e que lhes diga que não passam disso mesmo, de trolls (desprezíveis ou não só depende da atitude do troll e fica ao critério e sensibilidade de cada leitor).

      Eliminar
    12. outro nome que lhes* queiram dar

      Eliminar
    13. Mirone eu não sei quanto ao outro anónimo mas eu (Anónimo28 de novembro de 2016 às 00:28) não era/sou o anónimo inicial.
      O meu comentário era irónico para o primeiro anónimo.

      Em relação ao "gabar-se" indirectamente, acho que é bem diferente ter um blog a falar da sua vida do que ter um blog só para a publicidade encapotada/venda dos filhos/estupidez crónica.
      Não lá volto quando não gosto, só se a estupidez atingir os píncaros e querer ver pelos meus próprios olhos quão baixas podem ser algumas pessoas.

      O blog da NM, da Mirone, da Uva (que infelizmente o fechou) e da Palmier são blogs que visito porque gosto. Não posso dizer que goste das pessoas porque não as conheço mas gosto do que dizem, do "personagem", do que transmitem...chame-lhe o que quiser.
      Não me parece que num blog pessoal as pessoas devam omitir certos aspectos da sua vida só porque causa "dor de coto" alheio. Não o vejo como gabarolice, lá está, se calhar porque não tenho problemas em fazer precisamente o mesmo: viajar quando me dá na real gana (ou por vezes quando tem mesmo de ser).

      Ainda não atingi ali o ponto do outro anónimo que diz que não precisa de trabalhar para viver...quem me dera mas não tenho tanta sorte.

      Acho que se pode pegar em tudo o que quisermos. Podemos dizer que se a pessoa nos mostra uma foto sua num carro está a gabar-se, se mostra uma parte (ínfima) da sua casa está a gabar-se.
      Por outro lado, se mostram sentimentos ou pensamentos bem elaborados ou são queixinhas ou estão armadas em intelectuais, não é?

      Mas deve ser frustrante viver a vida atrás de pessoas de quem não gostamos só para escarnecer.

      Eliminar
    14. Sem nome, os anónimos só se distinguem pelas horas de postagem. Mas reconhecemos alguns pelo estilo de escrita (até aqueles, sobretudo aqueles, que gostam de assumir diferentes personalidades). Eu procuro retirar algo de bom de tudo o que os anónimos me dizem aqui, mais não seja uma lição sobre como não agir. Por isso todos têm espaço e tempo para se exprimirem, de preferência em relação a mim, os que gostam de mim e os que não gostam (seria muita petulância minha achar que não há quem não goste de mim).
      Quando abri o blog escolhi ter um blog sobre nada - escrevi-o nos primeiros posts - não é um blog político, nem literário, não é humorístico nem e moda, não é um blog técnico nem um diário de bordo. É um espaço que escolhi preencher com "não-assuntos". Por isso acho estranho que me digam que me gabo disto ou daquilo quando, na verdade, exponho muito pouco a minha vida privada (a minha vida é muito mais do que um diálogo que tive com a minha filha e que transcrevi para o blog, ou um post a contar que estraguei uma blusa quando a pus na máquina de lavar).
      Ter um blog sobre nada é um exercício exigente, há dias em que me apetece muito falar-vos de conquistas que fiz, partilhar um lugar de que gostei muito, discutir uma ideia que me tem ocupado o tempo, mas opto por não o fazer, não foi isso que escolhi para o blog (ainda que perceba que se o fizesse seria bem capaz de ter mais leitores, ou gerar mais empatia e, o outro lado da moeda, algumas antipatias). Vivo bem com as escolhas que fiz para o blog, aceito que não sejam do agrado de todos, de maneira que, não assentando em mentiras, não me incomoda nada que pessoas que não gostam de mim mo venham dizer. Se alguém que está presente é importante na minha vida me viesse dizer que não gosta de mim porque tive este ou aquele comportamento, aí sim, ficaria preocupada, aí sim, procuraria (como procuro, quando acontece) corrigir a minha postura. Se um estranho me disser que agi mal nesta ou noutra situação concreta, aí sim, daria (como dou quando acontece) a mão à palmatória. Agora quando um estranho, sem concretizar (nunca concretiza, mesmo instado a fazê-lo), lança acusações para o ar, ó meu amigo, é para o lado que durmo melhor. É dizer-lhe que sim, que tem muita razão, deixá-lo falar, que a mim não custa nada e para ele faz toda a diferença a atenção que alguém lhes dispensou naqueles minutos.

      Em relação ao anónimo do desprezo, o do comentário das 11:34, não deixa de irónico que seja um anónimo a falar de toca e foge, do fazer sem assumir.

      Eliminar
    15. Estive a ler com muita atenção e só fiquei com uma dúvida (porque, já se sabe, sou para lá de inteligente, também não perco oportunidade de me gabar disso)... Oh anónimo das 11h34, porque é que "nunca se pode dar resposta a anónimos como" o anónimo?! A sério, porquê? O que é que acontece?

      P.S. Tenho, não um, mas dois carros.

      Eliminar
    16. Dois carros?! Ohlala!!!

      Então porquê? Que pergunta tola! Porque o anónimo é bué inteligente e vai sempre dar-te baile, não se está mesmo a ver?
      Se não responderem, o comentário fica feito, está dito, toma lá que já embrulhaste (mas ai de quem discorde ou diga que o anónimo gosta é do toca e foge, do dizer/fazer sem assumir, não senhor isso é coisa de blogger desprezível, nunca de anónimos, que heresia!).
      E porque aqueles disparates que diz são só para animar as hostes, é uma esmola que dá, um favor que faz a bloggers que despreza, pois que ele é super-inteligente, só diz disparates quando está na reinação e quer entrar com as tolinhas, picá-las. Isto porque aquele tipo de anónimos é mais inteligente que todos, 'tás a ver? Ainda assim, não percebe que as pessoas têm o mesmo direito de "entrar com ele" como ele tem de "entrar com os outros", e mais, têm o direito de escolher quando e com quem querem brincar e simplesmente não quererem brincar especificamente com ele ou naquele momento e responder-lhe à letra. Mas se alguém lhe responde à letra, ai que tolas, ai que não, não pode ser, não se pode responder a anónimos destes. Na volta caem-te os dentes, ou nasce-te um terceiro braço nas costas. Pode ser que lhe apeteça vir cá explicar. Também pode ser que perceba que meteu o tiro lhe saiu pela culatra e enfie a viola no saco.
      Este é inofensivo, passam-se meses sem que se dê por ele, mas depois tem dias em que olha, dá-lhe para isto...

      Eliminar
    17. Ah, pronto! Agora sim percebi. Portanto, uma pessoa só por ter um blogue tem de levar com tudo e mais um par de botas sem dar um ai, ainda que esse ai seja uma gargalhada inofensiva (ou, por outras palavras, "cair na esparrela"). É ler e calar. Ou não se tivesse decidido criar um blogue público. Muito bem. Faz sentido faz.

      Eliminar
    18. A Mirone, quando se enerva dá-lhe para escrever comentários longos. Daqueles que só se lêem na diagonal, ninguém tem pachorra para ler estes lençóis. Já uma vez lhe tinha dito isto, mulher, nessa altura lá se emendou, mas agora voltou á coisa. Prova chapada de que já está toda tremeliques.
      Quer fazer a caridade de resumir essa lengalenga, para depois eu decidir se se justifica dar-lhe mais conversa? Agradecida.

      Eliminar
    19. A NM posso responder porque, graças aos céus, ela tem o dom de ser sucinta: miga, não se pode responder a anónimos como eu precisamente pela razão que eu disse: porque os anónimos como eu só querem é desestabilizar. Querem conversa e parvo da vossa parte porem-se a dá-la. E vocês fazem figura de maluquinhas em andar a dar conversa a maluquinhos.
      Senão vejamos:
      1-Quantos posts da Mirone têm 20 e tal comentários?
      2 - Tirando o meu, só há mais 2 comentários a este post. Tirando a óbvia e previsível resposta da Mirone a esses 2 comentários, quem mais acrescentou alguma coisa a esses comentários? Pois, ninguém. Inclusivé a NM, foi na minha (e só na minha) conversa que veio meter colherada. Ora isso, parecendo que não, diz muito sobre vocês todas.

      Eliminar
    20. Falta ali um "é" antes de "parvo".

      Ó NM, e só para esclarecer: eu, o anónimo mauzão, sou quem disse que não acho nada que a NM tenha falado do incidente do (salvo erro) espelho do carro para se gabar. Contou uma peripécia lá da sua vida e pronto. Ou percebi mal ou era mais para falar do seu marido do que do carro. De qualquer modo, o outro anónimo também já disse que estava só a ironizar (não lhe saiu muito bem, mas prontES), pelo que, dos seus múltiplos carros, estamos conversados. Amigos como dantes, hã?

      Eliminar
    21. É triste que esteja a dizer isto "Tirando o meu" quando sabe que não é verdade. Não sei quantos comentários fingiu serem seus. Mas 2 são meus (com este serão 3).

      Também me entristece ser colocada como um dos anónimos com "dupla personalidade" quando nunca o fui, nem aqui nem em lado algum.

      Mas lá está, para evitar isto só mesmo criando um perfil. A questão é que não me dedico tanto a isto para o fazer.

      Eliminar
    22. ps: Através do IP é bem capaz de se verificar esta questão, no entanto, também acredito que tenham mais o que fazer do que andar a verificar isso.

      Eliminar
    23. Anónimo29 de novembro de 2016 às 14:06, não percebeu: tirando o meu inicial.
      Tirando o meu inicial, só há um do Poeta e outro da Máxima. Percebeu agora?
      Deixei bem claro desde o inicio desta troca toda que havia aqui dois anónimos nesta conversa. Se se sentir mais confortável, ponho aqui o registo de todos os meus comentários. Mas quem sabe ler (repito, quem sabe ler), distinguiu perfeitamente. Se me puder poupar a essa maçada...

      Eliminar
    24. Oh anónima das 13h55 e nessa sua teoria toda cabe a hipótese de "nós todas" gostarmos de, de vez em quando, deitar conversa fora com maluquinhos, só assim naquela de nos entretermos?

      (E a Mirone tem razão, não tem? Citando (às 17:04) "Agora quando um estranho, sem concretizar (nunca concretiza, mesmo instado a fazê-lo), lança acusações para o ar, ó meu amigo, é para o lado que durmo melhor". Vai-se escudar nisso dos comentários longos e não vai concretizar pois não?! Pois claro que não...)

      Eliminar
    25. Não me vou escudar em nada. A sério que não tenho pachorra para os lençóis da Mirone e já lho tinha dito. Ainda bem que a NM resumiu, gostei de saber que a Mirone dorme bem para um lado. Gosto de si, NM.

      Eliminar
    26. Não é recíproco porque tenho o maior desprezo por gente que joga no toca e foge.

      (E isso de não ter paciência para "lençóis" escrito por alguém que deixou um comentário com mais de mil caracteres - sim, dei-me ao trabalho, falta do que fazer já sabe como é, não deixa de ser irónico não...)

      Eliminar
    27. Sei de alguém que vai dormir tão cheio de si está noite, "oh yeah, sou o 'mÁior'!".
      Sabe bem esta atenção, não sabe? Pensava que era só o anônimo a fazer caridade? O anônimo incrementa os comentários (é sabido que sou paga em função dos comentários que os meus posts têm), e eu dou-lhe a desejada atenção. Que simbiose bonita.
      Disponha, anónimo, disponha. Tem aqui a caixa aberta, use-a com responsabilidade (leia-se, acintosidades só para mim,sim?). Logo à tarde volto para me poder criticar mais um pouquinho. Temos de ser uns para os outros...

      Eliminar
    28. Vê como já escreveu um pouquinho menos? Isto com jeito vai lá.

      Ó NM, não se trata de eu escrever muitos ou poucos caracteres, mais ou menos do que a Mirone. É que a Mirone é chata quando escreve muito. A sério, no hard feelings, mas é chata. Lembra-se dos primeiros posts dela, nos primórdios do blogue? Cruzes, que aquilo era medonho! Depois, com jeitinho, eu lá lhe fui dizendo que aquilo era medonho, de fugir, mesmo e agora? Qual é o resultado? Cada post raramente tem mais que 3 ou 4 linhas. Quem é amigo, quem é? Não precisa agradecer, Mirone, em querendo eu posso até agenciá-la.

      NM, está muito azeda comigo, credo, defender a sua amiga não tem que a fazer perder as estribeiras. Vá, vá lá tratar do espelho que eu espero. Por si e pelo seu bom humor.

      Eliminar
    29. Ahahahahahahahahahah oh anónimo, agora até me fez gargalhar. Mas então o anónimo conhece-nos tão bem, de ginjeira, como as próprias mãos, de trás para a frente, de cor e salteado, e acha que aquilo ali em cima fui eu a perder as estribeiras??!! Ahahahahahahahahahah olhe que não, olhe que não.

      (É tudo mui lindo, o céu mui azul e os passarinhos mui fofinhos, mas mostrar onde efectivamente a Mirone se gabou das suas viagens que é bonito, está quieto... Isso fica para outro dia com mais vagar, não é?)

      Eliminar
    30. Sim, anónimo, já me disse várias vezes que acha o meu blog chato, já me disse várias vezes o que pensa de mim (recordo-me bem por que motivo mo disse) mas, pasme-se, o blog e eu continuamos iguais. Não retira daí nenhuma conclusão? Vá, dizer que sou burra não conta.

      Mais, deixe-me que lhe diga, ser assim repetitivo também é do mais chato que há, sabia? E ser repetitivo nos moldes em que o anónimo o faz, é muito mais do que ser chato, porém guardo para mim os nomes que dou a esse comportamento e reconheço-lhe liberdade para que continue a sê-lo, se é esse o seu desejo, sem qualquer necessidade de o rotular, tentar rebaixar ou acusar sem fundamento. Este é só um dos muitos aspetos que nos distinguem.

      Eliminar
    31. Anônima das 14:06 e 14:07, eu não disse que a anônima é das que tem diferentes personalidades, disse que os anônimos se confundem, com excepção de uns quantos a quem já reconhecemos o estilo, mesmo aqueles que gostam de adotar diferentes personalidades numa tentativa de lançar o caos (ora são simpáticos, ora são acintosos, ora dizem ser anônimos, ora dizem ser anônimas). O outro anônimo que comenta este post frequenta este blog desde os primórdios, o que me disse aqui sob o anonimato já mo disse antes, umas vezes logado, outras vezes anonimamente. Noutros tempos disse que o fazia por pura diversão, para agitar águas, que gostava de assumir diversas personagens e que tudo não passava de uma brincadeira. Só não esperava, suponho, que nem todas as pessoas achassem piada às suas brincadeiras ou que quisessem não brincar com ele. Pior, não esperava que as outras pessoas brincassem da mesma forma. Ficou o caldo entornado. De vez em quando vem aqui ver se me tira do sério, sem sucesso. Como ele próprio diz, não saio deste registo chato e monocórdico. É um dom que tenho, digamos assim, venço-os pelo tédio. Acredito que ele gostasse de me ver irritada, a dizer palavrões, a insultar meio mundo e o outro, rodar a baiana e armar uma peixeirada monumental. Não vai acontecer, o anônimo que se diz mauzão terá que ficar com o prémio de consolação que é ver os seus comentários publicados.
      Enquanto tiver paciência e pena vou deixando que aqui venha matar os tempos mortos, combater a solidão. Como disse anteriormente, a mim não custa nada e ao anônimo mauzão faz toda a diferença ter quem o ouça.

      Eliminar
    32. Ai, NM, então o desafio era esse? Mostrar onde a Mirone se gabou? Ai, caraças, eu não disse que não li aquilo? Bom, mas para fazer isso, preciso de algum tempo e a minha vida não é só isto. Não é só este blogue, quero eu dizer, há por aí muito blogue para assombrar, a Mirone não detém o exclusivo, que é lá isso? Não é que seja difícil, o que não faltam são posts onde a Mirone disfarçadamente lá vai mostrando um bilhete de um espectáculo em Londres, de um detalhe de um hotel, de uma conversa que indica que..., enfim, a NM compreende, não é? Vá, fazemos assim, dê-me um tempo que mais cedo do que tarde tem notícias minhas, que eu já percebi que a NM também anda sempre a apregoar aos ventos que é uma mulher muito ocupada mas a verdade é que já não passa sem mim.

      Eliminar
    33. Mirone, ao contrário do que pensa, não dormi bem esta noite e não estou aqui a sentir-me Yeah, a mÁior. Só para esclarecer que não, não venho aqui destilar fel na esperança de dormir melhor, apenas lhe digo o que penso (ao contrário das amiguinhas, que só vêm dar festinhas nas costas e só dizem o que é bonito de se ouvir... grandes amigas!).

      Eliminar
    34. NM, nunca percebi esta necessidade de as bloggers virem acudir-se umas às outras, como se a blogger residente fosse uma coitadinha, uma pobre desgraçada, incapaz de se defender sozinha. Deixe-se disso, a NM é capaz de melhor e a Mirone não lhe merece este atestado de menoridade. Mostre que é realmente amiga dela, não a tratando como uma incapacitada.

      Eliminar
    35. Anónimo, em se decidindo por um género, veja isto, por favor:

      https://www.youtube.com/watch?v=14mOsiWkQ-k

      Eliminar
  2. O que fizeste? Ligaste ao hotel para o guardarem muito guardadinho?

    (é lá, tens aqui D. Joaquinas bem fortes, tu, hã?)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamente. Já me deram, inclusive, valores para mo enviarem (90 euros por dhl e recebo-o dentro e 1 e 2 dias, ou 6 euros se vier por correio normal, entre 5 a 6 dias).

      Eliminar
  3. Espero que tenha resolvido a situação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, foi simples, pedi uma segunda via do cartão enquanto espero pelo telefone.

      Eliminar